Indústria

Novo winglet é certificado para o Boeing BBJ

FAA concede certificado de tipo suplementar para uso do SSW no 737-700


A Aviation Partners Boeing anunciou que FAA (Federal Aviation Administration) concedeu o certificado de tipo suplementar para o emprego do SSW (Split Scimitar Winglet) para os atuais BBJ e demais 737-700 em uso.

O novo winglet desenvolvido para o programa Boeing 737 MAX se diferente dos atuais blended winglet utilizados amplamente na família 737 NG, por seus refinamentos aerodinâmicos, que contribuem para uma redução entre 2,2% e 3% no consumo de combustível. Com isso, muitos operadores podem remover o oitavo tanque ventral, que além de reduzir o peso, permite aumentar a capacidade do avião, mesmo carregando menos combustível. Mesmo sem o oitavo tanque o alcance é ampliado em até 200 nm com o uso do SSW. O novo winglet se difere visualmente dos demais blended winglet por contar com duas aletas aerodinâmicas, além de um perfil mais acentuado e maior comprimento.

O novo dispositivo pode ser instalado em qualquer Boeing 737 NG, exigindo apenas algumas modificações estruturais, como reforço do ponto de fixação, incluindo um lastro de 54 kg e calibração do aileron. Segundo a Boeing, o peso total do conjunto é de 98 kg.

Atualmente a Aviation Partners Boeing possui encomendas para mais de 1.700 aeronaves, incluindo modelos 737 NG, BBJ, BBJ2, BBJ3 e versões executivas do Boeing 757 e 767. Recentemente um BBJ da Washington Corporation (N162WC) se tornou o primeiro Boeing 737-700IGW a ser equipado com o novo dispositivo aerodinâmico.

Da redação

Publicado em 20 de Maio de 2015 às 16:00


Notícias Boeing Aviation Partners Boeing FAA 737 737NG 737 MAX 757 767 BBJ