De olho no continente

Caças russos não virão para a Fidae

Conglomerado Rostec, que vai promover seus aviões e helicópteros no Chile, define a América Latina como mercado prioritário


O conglomerado russo Rostec vai promover suas principais aeronaves de combate durante a Fidae 2016, que acontecerá na semana que vem, em Santiago do Chile. Entre os destaques promovidos pelo grupo para o mercado latino-americano estarão os caças MiG-29M/M2, Su-30MKI e Su-35, assim como o avião de treinamento e ataque leve Yak-130 e os helicópteros Mi-171A2, Ka-32A11BC e Ansat. Diferente do que informamos anteriormente, as aeronaves não participarão da exposição estática da feira. Na verdade, a companhia fará apresentações audiovisuais, palestras e demonstrações por meio de maquetes para esclarecer dúvidas dos visitantes e interessados.  

“Embora a estratégia de desenvolvimento da Rostec esteja focada em figurar entre as sete maiores corporações industriais do mundo até 2025 - através do desenvolvimento e criação de produtos civis inteligentes -, seguimos com a tarefa do cluster de ‘armamentos’ de manter a competitividade dos produtos, gerar receitas, garantir a realização dos contratos de colaboração técnica-militar e desenvolver projetos de alta tecnologia”, explica Sergey Chémezov, CEO da Rostec. “Neste sentido, a Rostec aposta na América Latina como um dos mercados prioritários para exportação de tecnologia russa, oferecendo em geral os sistemas integrados de segurança, além dos produtos de defesa antiaérea e de aviação, fortemente reconhecidos em nível mundial”.


MiG-29M

YAK-130

Ansat

A promoção do Yak-130 ocorre num momento em que a força aérea chilena busca um novo avião de treinamento avançado. Além disso, a promoção dos Su-35 e MiG-29M demonstra a reestruturação da política de cooperação militar russa. Nos últimos anos, Moscou vem ingressando de forma agressiva em mercados tradicionalmente dominados por fabricantes europeus e norte-americanos, oferecendo plataformas de última geração e grande capacidade bélica. A Rostec tem mantido um amplo esforço para conquistar mercados potenciais na América Latina, especialmente nações que enfrentem maiores dificuldades de financiamento no mercado internacional.

Entre os aviões com maior potencial na América Latina estão os caças MiG-29M e Su-30/35. Considerados a ponta de lança da defesa aérea russa, os modelos oferecem elevada capacidade de combate aliada a menores custos de aquisição e operação. Um dos entraves para os países latinos é a dificuldade de obter aeronaves de última geração, especialmente num cenário de acirramento ideológico.

O maior rival para as ambições russas deverá ser o Gripen NG, por conta da influência brasileira entre os países da região e as condições de financiamento, em geral, favoráveis a parceiros comerciais do Brasil.

Analistas acreditam que a Venezuela, mesmo diante de uma grave crise econômica, poderá num futuro próximo ampliar suas opções de compras em armamentos russos, incluindo um novo lote de caças.


Leia Mais

MAKS 2015

Visitamos a planta da Kamov

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 24 de Março de 2016 às 14:22


Notícias MiG-29 Su-30 Su-35 Ansat