Os aviões mais produzidos da Segunda Guerra

Até o final do conflito mais de 789 mil aviões foram construídos

Da redação em 16 de Setembro de 2016 às 17:00

A Segunda Guerra mundial foi marcada por números absolutos jamais vistos na história humana. Além dos trágicos índices, o conflito foi responsável pelo avanço sem precedentes da aviação. Em cinco anos de guerra a indústria aeronáutica se viu diante de um ritmo frenético de desenvolvimento e produção de aeronaves. Para se ter uma ideia, apenas na unidade da Douglas Aircraft, em Oklahoma, foram produzidos 5.354 unidades do C-47 Dakota entre março de 1943 e agosto de 1945. Conheça a lista dos dez aviões mais produzidos utilizados na Segunda Guerra.

10. Junkers Ju-88 –15.000 unidades (aproximadamente)

Mesmo sem dados exatos do número de aeronaves produzidas, o total de Junkers Ju-88 passa dos 15 mil. O modelo foi um dos primeiros concebido sobre o que viria a se tornar as aeronaves multiemprego. O pequeno e ágil bimotor foi empregado como bombardeiro rápido (Schnellbomber), aeronave de reconhecimento, caça pesado e torpedeiro.

 

9. North American P-51 Mustang – 15.875 unidades

O mais famoso caça norte-americano da Segunda Guerra também foi um dos mais importantes no conflito. Desenvolvido pela North American Aviation, o primeiro protótipo foi apresentado em setembro de 1940, exatos 102 dias depois da assinatura do contrato para desenvolvimento de um caça rápido, capaz de voar a grandes altitudes e com elevada performance. Com sua introdução em serviço, os bombardeiros Boeing B-17 Flying Fortress puderam penetrar no interior da Alemanha, conseguindo assim desestabilizar toda a infraestrutura de guerra alemã.

 

8. Republic P-47 Thunderbolt – 16,231 Unidades

Amado entre os brasileiros e pouco lembrado nos Estados Unidos, o P-47 Thunderbolt foi um dos mais notáveis caças de seu tempo. Mesmo sem a manobrabilidade e performance de seus rivais, como o Mustang, o enorme P-47 se consagrou entre seus pilotos como indestrutível.  Sua capacidade de ataque também era de longe a maior entre os caças. Em missão de ataque ao solo, tinha um peso máximo de decolagem de quase 8 toneladas, com uma carga paga de praticamente 4 toneladas. Como comparação, o B-17 em voos de longo curso levava aproximadamente 8 toneladas de bombas.

 

7. Douglas C-47 Dakota – 17.000 unidades (aproximadamente)

A versão militar do Douglas DC-3 pouco se diferenciava do modelo civil, basicamente a maior mudança ficava por conta da ampla porta traseira e do piso reforçado. Porém, enquanto a versão civil teve pouco mais de 600 unidades produzidas, a variante militar, incluindo os produzidos sob licença no Japão e União Soviética, passaram dos 17.000. O número total é desconhecido, já que o Lisunov Li-2, produzidas pelos soviéticos, jamais cumpriu o acordo fechado com a Douglas e os números finais variam entre 4.937 e 6.157 unidades, dependendo da fonte consultada.

 

6. Consolidated B-24 Liberator – 18.482 Unidades

Produzidos pela Consolidated Aircraft, o B-24 Liberator foi um dos maiores aviões de seu tempo. Mesmo tendo recebido menor destaque que o B-17, o Liberator era mais moderno, possuía maior alcance e capacidade que o modelo da Boeing e foi fundamental para a avanço das tropas aliadas em praticamente todos os teatros no qual participou.

 

5. Supermarine Spitfire – 20.350 Unidades

O primeiro avião da lista a superar a marca das 20.000 unidades produzidas. O Spitfire dispensa apresentações. É até hoje cultuado no Reino Unido como um dos heróis da Segunda Guerra. Sendo o primeiro e único artefato bélico a conquistar tal distinção. Com sua chegada a força aérea alemã passou a sofrer pesadas perdas, ajudando a derrota dos nazistas em sua ambição de conquistar a maior parte do continente europeu.

 

4.  Focke-Wulf Fw 190 – 29.000 Unidades (aproximadamente)

Assim como a maior parte dos aviões alemães do período, os números finais são desconhecidos. Porém, sabe-se que o total foi próximo aos 30.000 aparelhos. O Fw 190 foi a espinha dorsal da aviação de caça alemã durante todo a guerra. No final, quando já era completamente inferior a seus rivais, o Fw 190 continuou oferecendo enorme resistência ao avanço aliado sobre o território alemão. Além disso, se notabilizou por sua enorme capacidade de multiemprego, atuando como caça diurno, caça-bombardeiro, ataque ao solo, escolta, entre outros.

 

3. Messerschmitt Bf 109 – 33.984 unidades

Além de ter sido um dos mais poderosos caça da Segunda Guerra, o Bf 109 foi fundamental até os últimos dias do conflito. Serviu ainda durante a Guerra Civil espanhola e foi responsável pela maioria das vitórias da força aérea alemã. Curiosamente é um dos poucos aviões produzidos na Alemanha que possui um número total de aeronaves produzidas oficialmente reconhecido.

 

2. Yakovlev Yak-3 – 31.000 (aproximadamente)

O Yak-3 foi um dos principais aviões de caça da União Soviética, sendo um dos responsáveis por conter o avanço das forças nazistas sobre o território soviético. Alguns especialistas apontam que o Yak-3 era superior aos Spitfire e P-51, especialmente em relação a capacidade de manobrabilidade.

 

1. Ilyushin Il-2 – 36.183 Unidades

O Il-2 foi um avião de ataque ao solo amplamente empregado pelas forças soviéticas e até hoje detém o título de avião militar mais produzida de toda a história. Na indústria aeronáutica apenas o Cessna 172 o supera, com 43.000 unidades fabricadas, desde seu lançamento em 1955. No entanto, o Il-2 atingiu a impressionante marca em apenas quatro anos de produção.

Notícias

Mais Notícias