United

Sindicato de pilotos da United repudia a violência em Chicago na semana passada

O incidente da remoção truculenta de um passageiro ”nunca deveria ter acontecido”

Por Ernesto Klotzel em 17 de Abril de 2017 às 11:16

O Conselho Executivo Master (MEC) dos pilotos da United Airlines emitiu um comunicado que faz fortes críticas ao Departamento de Aviação de Chicago relativas ao incidente ocorrido no voo 3411 da United Express (terceirizada da United Airlines), na semana passada.

No voo em questão, ainda antes da decolagem, um passageiro foi retirado de seu lugar e do voo de maneira violenta por três “agressores” por não concordar em ceder seu assento voluntariamente em mais um caso de overbooking. O caso, amplamente divulgado pelas redes sociais e pela mídia geral, causou furor generalizado, até fora dos Estados Unidos.

Para o MEC, a repulsa do público não teve o endereço certo: “À medida que o caso do Voo 3411 da United Express – operado pela Republic Airways – continua circulando viralmente nas notícias, e mídias sociais, o MEC, intencionalmente, absteve seu julgamento diante do ritmo com que as informações – corretas ou não – têm sido divulgadas e manipuladas”.

“A segurança e o bem-estar dos nossos passageiros é da mais alta prioridade para os pilotos da United e o acontecimento nunca deveria ter degringolado para um embate violento. Os pilotos da United estão furiosos. O fato se deu a bordo de uma aeronave contratada para os serviços Express, de propriedade e operação da Republic Airways com a infeliz intervenção do Departamento de Aviação de Chicago”, afirmou o MEC.

Para o MEC, os fatores básicos são:

  • O violento incidente nunca deveria ter acontecido e resultou do uso de força desmedida pelo pessoal do Departamento de Aviação de Chicago
  • Nenhum funcionário da United se envolveu na altercação física (ver foto).
  • A revolta da mídia social deveria ser dirigida ao Departamento de Aviação de Chicago.
  • O incidente ocorreu em um voo Express operado pela Republic Airways e, assim, os tripulantes técnicos e de cabine são funcionários da Republic Airways e não da United Airlines.

O CEO da United, Oscar Muñoz pediu desculpas em nome da United Airlines, do Departamento de Aviação de Chicago e pelas ações da sua parceira, a Republic Airways.

Na opinião do MEC “a United Airlines deve ser avaliada por muito mais do que um incidente em um único voo da United Express. A companhia conta com mais de 82.000 funcionários entre os quais, 12.500 pilotos.


Notícias United Airlines Republic Airways Uited Express


Airbus, Nova Rival da Embraer

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Airbus, Nova Rival da Embraer

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas