Prefixos russos

Rússia estuda a eliminação dos prefixos estrangeiros das suas aeronaves

O procedimento não evitará as altas taxas de importação

Por Ernesto Klotzel em 9 de Maio de 2017 às 15:11

A Rússia está estudando banir as ações de suas companhias aéreas que registram  suas aeronaves ocidentais no exterior e, dessa forma, unir todas as operadoras do país em um registro nacional, segundo a Agência Federal do Transporte Aéreo (Rosaviatsia). As aéreas russas - que operam aviões não russos - recorrem frequentemente a este recurso para evitar as elevadas taxas de importação.

Atualmente, das 743 aeronaves construídas no Ocidente que voam na Rússia, 582 (78%) são registradas nas Bermudas e 26 (3.5%) na Irlanda. O processo de normalização pode levar de dois a três anos, afetando cerca de 28 operadoras. A Aeroflot, tem 167 aviões registrados nas Bermudas. A exceção fica para os 30 SSJ 100-95 fabricados no país.


Notícias Rosaviatsia Aeroflot

Na rota do furacão

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Na rota do furacão

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas