Apenas duas aerovias ativas

O impacto do corte de relações diplomáticas com o Catar para a aviação

Patrocinadora da FIFA e acionista de diversas empresas aéreas, Qatar Airways mantém apenas voos intercontinentais

Da redação em 5 de Junho de 2017 às 14:50

Sob acusação de ligação com o terrorismo, em especial com os grupos Estado Islâmico e Al Qaeda, a Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Egito, Iêmen e Líbia cortaram relações diplomáticas com o Catar e afetaram as operações da principal companhia aérea do país, a gigante Qatar Airways. 

Os sete países acusam Doha de desestabilizar a região e apoiar as políticas do Irã, assim como grupos terroristas diversos. As autoridades sauditas afirmaram que a decisão foi tomada para proteger a segurança dos países da região e dos perigos do extremismo. Em comunicado, o governo saudita afirma que “o Catar acolhe diversos grupos terroristas para desestabilizar a região, como a irmandade muçulmana, o estado islâmico".

Com isso, o Catar teve suas ligações aéreas e marítimas cortadas. De todas as aerovias que atendem Doha, apenas duas continuam liberadas pois não passam sobre nenhum dos sete países que iniciaram o veto.

Com o espaço aéreo limitado e com grande parte de sua malha aérea afetada pela decisão, a Qatar Airways mantém apenas voos intercontinentais. Todos os demais voos regionais foram cancelados. Da mesma forma, a Emirates Airline, Etihad Airways, FlyDubai e Saudia cancelaram todos seus voos com destino a Doha.

Em comunicado, a Etihad Airways indicou que a medida vai entrar em vigor na terça-feira "até nova ordem”. Até o momento, as empresas da região não emitiram novos comunicados informando por quanto tempo deverão manter as medidas.

O Egito anunciou o fechamento das fronteiras aéreas e marítimas com o Catar que, de acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros egípcio, adota um comportamento hostil em relação ao Cairo.

 

Acordo com a Fifa

A Qatar Airways assinou em maio um acordo de patrocínio com a Fifa válido até 2022, ano que se realiza o mundial de futebol no Catar. Com isso, a empresa aérea se tornou a patrocinadora oficial de todos eventos promovidos pela Fifa nos próximos cinco anos, como a Taça das Confederações de 2017, do Mundial da Rússia em 2018, da Taça Mundial de Clubes, do Mundial feminino em 2018 e do Mundial do Catar, em 2022.

Imediatamente após o anuncio das sanções contra Doha, o clube de futebol saudita Al Ahly anunciou que cancelou unilateralmente o contrato de patrocínio com a Qatar Airways. Em sua conta no twitter, o time de Jeddah, "anuncia a quebra do contrato com a Qatar Airways". A empresa ainda possui diversos contratos de patrocinio com clubes europeus, que podem adotar medidas similares.


Notícias


Airbus, Nova Rival da Embraer

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Airbus, Nova Rival da Embraer

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas