Guerra Fria 2.0.20

Rússia realiza exercícios com bombardeiros próximos da fronteira com a Europa

Manobras de dissuasão entre forças da Otan e russas cresceram mais de 30% em apenas um ano


Bombardeiro Tu-22M russo decola para mais uma missão de treinamento em espaço aéreo internacional

Receba as notícias de AERO diretamente no TelegramWhatsApp e Instagram

Os Estados Unidos e a Rússia têm aumento o número de voos com bombardeiros na fronteira europeia, retomando um clima de tensão e dissuasão não vistos desde a Guerra Fria. Hoje (17) dois Tu-22M3 realizaram um voo programado sobre as águas neutras do Mar Negro

Recentemente o ministério da defesa russo passou a posicionar seus bombardeiros estratégicos próximo dos países membros da Otan e locais de lançamento de mísseis da organização.

De acordo com o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, as missões de vigilância da Otan perto das fronteiras russas aumentaram mais de 30% em comparação com 2019. As ações ocorrem em diversos pontos da fronteira, com aeronaves da aliança sobrevoando diariamente a região, ao mesmo tempo que os russos mantêm intensa atividade no Ártico e próximo ao Alasca.

Apenas durante o dia de hoje (17) a força aérea realizou uma série de exercícios envolvendo os bombardeiros Tu-160 e Tu-22M3. “Dois bombardeiros estratégicos da aviação de longo alcance russos Tu-22M3 realizaram um voo programado no espaço aéreo sobre as águas neutras do Mar Negro”, anunciou o ministério da defesa da Rússia.

Segundo a pasta, durante a o exercício de treinamento os bombardeiros foram escoltados em alguns momentos por caças Sukhoi Su-27, mas também foram acompanhados por aeronaves da Otan, mantendo os procedimentos internacionais para este tipo de abordagem.

Já os bombardeiros estratégicos Tu-160 fizeram um voo programado de dez horas sobre os mares de Barents, próximo da fronteira da Noruega, e sobre o oceano Atlântico.

Site do Ministério da Defesa da Rússia afirma que caças F-22 da Alemanha e Itália interceptaram voo do Tu-160

“Dois bombardeiros estratégicos Tu-160 realizaram um voo programado sobre as águas neutras dos mares de Barents e norueguês”, destacou o ministério da defesa. “Em certas seções, eles [bombardeiros] foram escoltados por caças MiG-31 da Força Aérea Naval da Rússia e por caças F-16 da Força Aérea Norueguesa”.

Outro exercício com os Tu-160 ocorreu ontem, sobre o Mar Báltico, envolvendo outros dois aviões, que foram escoltados pelos Su-35 da força aérea russa, mas por diversas vezes foram acompanhados pelos F-16 dinamarqueses, MiG-29 poloneses e Gripen C da força aérea sueca.

Curiosamente, o Ministério da Defesa da Rússia afirma que ainda caças F-22 Raptor da força aérea da Itália e da Alemanha estiveram envolvidos na missão [veja no detalhe]. Todavia, o único operador do F-22 são os Estados Unidos e possivelmente o reporte tenha envolvido os caças Typhoon.

O exercício ocorreu horas após os Estados Unidos deslocarem três B-52H e um B-1B em exercícios similares, próximos da fronteira da Rússia.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 17 de Setembro de 2020 às 17:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Tupolev-Tu-22 Tu-160 F-16 F-22 Gripen MiG-31 Mig-29 Sukhoi Su-35 Su-27 Rússia Otan EUA