Aviação Militar

Presidente da França tenta lobby para definir F-X2

François Holland tem encontro privado com Lula e debate sobre o assunto Rafale

Da redação em 14 de Dezembro de 2013 às 13:53

A visita do presidente francês, François Holland, inclui na agenda a definição do programa F-X2, considerado um assunto estratégico e comercial de grande importância para os interesses da França.

Entre os membros da comitiva oficial estão importantes executivos da Dassault e da Rafale Internacional, que tentam virar o jogo novamente a favor do Rafale. Após a mudança do governo, o Rafale, que contava com o apoio explícito do então Presidente Lula e do Ministro da Defesa Nelson Jobim, perdeu forças no Planalto e viu o Super Hornet tomar a liderança. Porém, após os escândalos de espionagem por parte do governo do EUA, os franceses esperam rever a opção brasileira.

Na agenda oficial de Holland há um encontro privado, na embaixada da França, com o ex-presidente Lula. Além de encontro com ex-presidentes raramente fazer parte da agenda oficial de um Chefe de Estado, uma reunião particular chama a atenção. Entre os analistas políticos é dado como certo que o tema do encontro foi o F-X2. Os franceses enfrentam não apenas a falta de interesse da FAB no Rafale, que o colocou na terceira e última posição no relatório final, mas também tentam se desvencilhar dos inúmeros problemas diplomáticos envolvendo os dois países. O primeiro foi ainda com o presidente Sarkozy, que votou contra o acordo do Irã na ONU, contrariando os interesses brasileiros. O segundo envolveu o próprio Holland, que não apoiou o candidato brasileiro a OMC.

O que se debate em Brasília é que o governo francês busque formar um poderoso lobby, com o apoio do ex-presidente Lula, para convencer o governo de optar pelo Rafale ainda este ano. Fontes no Comando da Aeronáutica confirmam que Holland sugeriu o leasing de 12 unidades do Rafale, que poderiam ser entregues ao longo de 2014 para substituir provisoriamente os Mirage 2000. O contrato seria provisório e sem compromisso de compra, sendo apenas uma “gentileza” política.

Porém, as chances do caça francês continuam em baixa, pois a FAB se mostra relutante em operar um dos aviões mais caros da atualidade. Dentre os três finalistas o Rafale possui o maior custo de operação e de manutenção, que segundo militares, que preferem o anonimato, chega a ser o dobro do valor do Gripen.

O Gripen, que chegou a ser escolhido no F-X, volta à cena como o possível vencedor ao F-X2. O motivo seria político, pois permite manter as relações com americanos e franceses dentro da normalidade e ainda agrada os militares que vêem com bons olhos a oportunidade do Brasil poder trabalhar em conjunto com a Saab no desenvolvimento final do GripenNG.

Seja como for, a presidente Dilma se reúne no próximo dia 18 com os militares da FAB, o que será a última chance para o F-X2.


Notícias Rafale presidente França Lula Dilma FAB Dassault


Airbus, Nova Rival da Embraer

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Airbus, Nova Rival da Embraer

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas