Mais segurança

Pilotos querem maior proteção no cockpit

“Barreira secundária” para complementar a porta reforçada existente

Ernesto Klotzel em 17 de Fevereiro de 2017 às 19:40

As portas de acesso ao cockpit, reforçadas por lei após os atentados de 11 de setembro não parecem, na opinião de muitos pilotos, ser suficientes para impedir a invasão da cabine de comando. Afinal, ela precisa ser aberta periodicamente para atender às necessidades biológicas dos pilotos.

Desde a trágica data do atentado às Torres Gêmeas em Nova York, foram pelo menos 52 tentativas de sequestro de aviões comerciais. Portanto, o perigo continua real. A partir de 2003, duas importantes companhias aéreas dos Estados Unidos instalaram, voluntariamente, uma tela de malha de arame, chamada “barreira secundária”, instalada entre a porta do cockpit e a cabine de passageiros.

A Boeing e a Airbus oferecem a “barreira secundária” em suas aeronaves novas, enquanto o retrofit em aviões operacionais é de custo baixo: cerca de US$ 5.000 ou até menos. Uma legislação recente do Congresso dos EUA tornou obrigatória a instalação das “barreiras secundárias” em aviões comerciais novos de fábrica


Notícias Boeing Airbus


Airbus, Nova Rival da Embraer

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Airbus, Nova Rival da Embraer

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas