A conectividade está transformando o mundo e a indústria aeroespacial não é exceção. Com a proliferação da comunicação via satélite e a transformação de aviões analógicos em pontos de conexão digitais no céu, os aviões estão gerando mais dados agora do que nunca. Na verdade, centenas de gigabytes de dados são gerados em cada voo. Esse incrível volume de dados tem o potencial de mudar a maneira como uma aeronave opera, desde a decolagem até aterrissagem e manutenção, tornando a operação inteligente e mais eficiente.

O atual desafio é que todos esses dados estão sendo armazenados em diferentes partes do avião e em todo o amplo ecossistema aeroespacial. Muito pouco é compartilhado ou transferido para as pessoas que precisam, quando precisam e com os insights de como os dados podem ser melhor aproveitados. Na maioria das vezes, os aviões têm sido utilizados como ilhas de informações conectadas à velocidade dial-up. Agora que estamos na vanguarda da conectividade global de alta velocidade é possível revolucionar o uso de dados da aeronave para aprimorar a eficiência operacional.

O que é uma aeronave conectada?

Tudo se refere a fazer mais com os dados gerados pela aeronave. Durante o voo, a disponibilidade de dados em tempo real pode melhorar a segurança e a eficiência. Por exemplo, a disponibilidade de informações meteorológicas estratégicas para o piloto pode ser esporádica em diferentes partes do mundo. Isso não apenas impacta no conforto do passageiro, mas também na eficiência da rota, especialmente se o avião tem de voar em uma situação climática ruim. Com dados climáticos em tempo real, ou com a habilidade de ter soluções sobre informações climáticas em vários canais, o avião pode viajar mais suavemente e os planos de voo podem ser otimizados, já que as manobras dos pilotos ficam melhores em uma boa condição climática.


A indústria aeroespacial está à beira de uma transformação trazida pelo acesso e pela disponibilidade de uma quantidade massiva de dados

Ao mesmo tempo, redes globais de alta velocidade, como a GX Aviation, serão responsáveis pela banda larga, armazenamento e processamento de dados mais acessíveis para a indústria da aviação. Isso abre uma porta para monitorar, agregar e analisar dados de várias partes de uma aeronave, como os freios, unidade auxiliar de energia (APU, em inglês) ou outro componente mecânico que historicamente não tinham sido conectados.

Quando os dados gerados por sistemas mecânicos como freios ou APUs podem se comunicar e se correlacionar com um sistema elétrico, como o sistema de gerenciamento de voo, podemos criar recursos inteligentes, seguros e de manutenção preventiva para companhias aéreas e operadoras. Considere um cenário no qual uma aeronave enfrente um erro durante uma hora em um voo. Os sistemas atuais podem não estar habilitados para mandarem informações essenciais sobre o erro em tempo real. Com uma melhor conectividade, os dados referentes ao erro, sua localização no avião, informações específicas sobre o voo, quando ocorreu, serão enviadas por comunicação via satélite para um centro de serviços de diagnóstico e resolução. As equipes de manutenção estarão preparadas para reparar o problema assim que a aeronave pousar.

Além de uma melhor manutenção, a conectividade aprimorada permitirá o fluxo livre de informação entre os aviões que estão no céu. Isso significa que a aeronave, os pilotos, os passageiros e a equipe de operações irão usar o melhor método da comunicação e processamento baseado na hierarquia de tarefas a serem feitas, com o objetivo de transformar a aeronave em um sistema operacional para desenvolver aplicações.

Isso criará uma experiência mais imersiva e perfeita. Por exemplo, o sistema de cockpit estará ciente de detalhes da situação, objetos voadores, restrições aeroespaciais e fase do voo. Todos esses detalhes serão atualizados continuamente e compartilhados com pilotos das aeronaves das imediações, oferecendo informações claras que irão guiá-los na tomada de decisões.

Como obter a aeronave conectada?

Para entender essas aplicações e experiências, novos recursos precisam ser desenvolvidos para a aeronave conectada, que vão além das comunicações particulares utilizadas, seja comunicação via satélite ou roteamento sem fio. Na Honeywell, estamos buscando novos recursos com o desenvolvimento de componentes e sistemas conectados e softwares que aumentam a segurança e eficiência – o que representará menos atrasos para os passageiros e melhor manutenção e economia de custos para companhias aéreas e operadores.

A indústria aeroespacial está à beira de uma transformação trazida pelo acesso e disponibilidade de uma quantidade massiva de dados. Como podemos desenvolver novas ferramentas e técnicas para aproveitar seu poder de forma segura será a chave para moldar o futuro do voo a bordo do avião conectado. Assim como a internet e a conectividade de alta velocidade fizeram por consumidores e empresas, eles também revolucionarão a indústria da aviação, com a decolagem da aeronave conectada.

Carl Esposito é vice-presidente de Marketing e Gerenciamento de Produto da Honeywell Aerospace


Indústria internet transmissão de dados indústria da aviação GX Aviation APU aeronave conectada

Artigo publicado nesta revista

Últimas Indústria

04-10-2015
00:00 O avião conectado
00:00 Visita à fábrica
01-08-2015
00:00 Hondajet no Brasil
15-07-2015
00:00 Novo padrão entre os super mid-size
11-06-2015
00:00 PC-24 levanta voo
24-04-2015
00:00 Um jato reconstruído
25-03-2015
00:00 O novo H145
23-01-2015
00:00 Perspectivas 2015
02-10-2014
00:00 O futuro da aviação leve
01-09-2014
00:00 A350 no Brasil
Mais Indústria »
NBAA 2016

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano



Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas

Mais lidas

1 Caem as entregas, mas há otimismo na Robinson Notícias
2 Diminui o interesse pelos Jumbo Notícias
3 King Air C90GTx começa a chegar ao Brasil Notícias
4 100 aeronaves que marcaram a virada do século 20 para o 21 Notícias
5 Jatos de negócios congestionam aeroportos na região de Davos Notícias
6 Monomotor ou bimotor? Reportagens
7 O jato particular de Trump é melhor do que o Air Force One? Notícias
8 Airlink, da África do Sul, torna-se a primeira cliente do país a adquirir aviões E-Jet da Embraer Notícias
9 Polônia poderá comprar 100 aviões de combate Notícias
10 Janela-bolha para o helicóptero Airbus H125 Esquilo Notícias