Ebace 2013

Mercado turbinado

Principal feira de aviação executiva da Europa marca lançamento do primeiro jato da Pilatus, o PC-24, e do Challenger 350, da Bombardier

Santiago Oliver em 10 de Junho de 2013 às 12:50

Mais de 50 aeronaves e um número de visitantes superior a 12.000 pessoas estiveram na mais recente edição da European Business Aviation Convention and Exposition (EBACE 2013), recente realizada em Genebra, na Suíça. Sem dúvida, a grande novidade ficou por conta da indústria aeronáutica local, a Pilatus, que lançou seu primeiro jato executivo, o PC-24, que custará cerca de US$ 9 milhões. De acordo com o fabricante, a aeronave é o primeiro jato executivo "superversátil", pois combina a praticidade de um turboélice com a cabine do tamanho de um Medium Light Jet e o desempenho de um Light Jet. Seu interior flexível e a grande porta de carga tornam seu acesso fácil e rápido, conforme o projeto. O PC-24 foi concebido para operar em pistas curtas pavimentadas e até não preparadas, proporcionando aos pilotos o acesso a mais de 21.000 aeroportos em todo o mundo, diz a Pilatus. Tudo isso representa a sua versatilidade: mais pistas, mais espaço e mais possibilidades.

A aeronave de cauda em "T" e dois motores nas laterais da parte traseira da fuselagem - bem atrás da cabine de passageiros, o que tornará seu interior bastante silencioso - apresenta asas com bordo de ataque com enflechamento duplo e bordo de fuga não enflechado. Com comprimento de 16,82 m, envergadura de 17 m e altura de 5,30 m, a aeronave equipada com dois motores turbofan Williams FJ44-4A, com empuxo unitário na decolagem de 15,14 kN (3.400 lbf) e peso máximo de decolagem de 8.005 kg terá uma velocidade máxima de cruzeiro de 790 km/h (425 kts), teto máximo operacional de 13.715 m (45.000 pés) e alcance - com quatro passageiros - de 3.610 km (1.950 nm). A cabine de passageiros de piso totalmente plano, terá volume de 14,3 m³, compartimento de bagagem totalmente pressurizado, com 2,5 m³, e cabine de comando, certificada para um piloto, terá aviônica Pilatus ACETM.


Maquete do novo Pilatus PC-24

CHALLENGER 350

Protótipo do Challenger 350 e o ator John Travolta, que pilotou o simulador do novo jato

Já a Bombardier revelou na EBACE seu midsize jet Challenger 350. Trata-se de uma aeronave equipada com dois turbofans Honeywell HTF7350, que produzem 7,3% mais empuxo na decolagem, uma versão melhorada da suíte de aviônica Rockwell Collins Pro Line 21 e um novo sistema de gerenciamento de cabine projetado pela Lufthansa Technik. De acordo com Greg Irmen, vice-presidente e gerente geral de negócios da Rockwell Collins, o sistema de aviônica Pro Line 21 é a modernização mais capaz disponível no mercado, possibilitada pela sua arquitetura flexível. Outro ponto de destaque no Challenger 350 são as novas asas com winglets inclinadas, aumentando em 2,75 m sua envergadura e melhorando a performance de consumo de combustível do novo jato em relação ao modelo 300.

G650 E G280

Ainda na área dos jatos executivos, dois grupos internacionais de aviação reconheceram durante o evento, no estande da Gulfstream, que seus três produtos mais recentes estabeleceram 30 recordes durante o ano de 2012. O G650, que obteve a sua certificação em outubro último, voou de Washington DC (EUA) até Genebra 24a uma velocidade média de 945 km/h (510 kts) e, na volta, de Genebra a Savannah, no Estado da Georgia, a uma velocidade de 860 km/h (465 kts). Já o G280, estabeleceu 22 recordes desde que entrou em serviço em 2012, e o G150 foi responsável por seis recordes, incluindo uma viagem de Libreville, no Gabão, até a Cidade do Cabo, na África do Sul, a uma velocidade média de 830 km/h (448 kts). Jonathan Gaffney, presidente da National Aeronautic Association, informou que a Gulfstream tem mais 20 recordes em processo de reconhecimento.

BEECHCRAFT

A Beechcraft, que expôs toda a sua linha de aviões turboélices e com motores a pistão reiterou seu compromisso de desenvolver novas aeronaves e modernizações da sua linha de produtos. O foco da Beechcraft no desenvolvimento de produtos tem estado na vanguarda da sua estratégia desde que emergiu da concordata em fevereiro. "Somos agora uma empresa bem capitalizada com um plano definitivo para todas as nossas plataformas", declarou a Aero Magazine Shawn Vick, vice-presidente executivo de Vendas e Marketing da Beechcraft. Estão sendo avaliadas duas versões: uma remotorizada - que utilizará combustível Jet-A - do bimotor a pistão G58 Baron e outra do monomotor a pistão G36 Bonanza, equipada ou com um turbodiesel ou um pequeno turboélice. E isso, além do projeto de um monomotor turboélice. Vick diz que a Beechcraft está ficando mais perto de definir suas principais características: "Estamos definindo a linha de produtos Beechcraft e acreditamos que um turboélice monomotor é uma evolução natural", afirmou Vick. "Estamos pesquisando o que os clientes gostariam de ter em aeronaves como o Cessna Caravan, Daher-Socata TBM 850 e Pilatus PC-12NG", completou o executivo.

BBJ 737 MAX

Durante a EBACE, a Boeing revelou que está considerando a possibilidade de desenvolver uma versão executiva do 737 Max com alcance de 13.000 km (7.000 nm).

Uma versão BBJ do 737 Max 8 foi lançada em 2012, e a Boeing está prestes a assinar a primeira venda, declarou na EBACE Steve Taylor, presidente da BBJ. Contudo, o BBJ Max 8 tem um alcance limitado a 11.725 km (6.330 nm), 9,5% menos que os 12.965 km (7.000 nm) que os seus concorrentes no setor dos jatos de cabine ultra grande, como o Gulfstream G650 e o Global 7000.

O fabricante norte-americano já pensou em obter esse alcance modificando um Max 7 com as asas do Max 8, o mesmo que fez com o BBJ original, que combinou a fuselagem do 737-700 com as asas do 737-800. "Outra opção que está sendo estudada pela Boeing é a de lançar uma versão de alto peso bruto do 737 Max 8", disse Taylor. Isso significa reforçar o trem de pouso e a estrutura da aeronave pata absorver o mesmo peso máximo de decolagem da versão padrão Max 9.


Protótipo do HondaJet

HONDA JET

A GE Honda Aviation, joint venture formada pela Honda Aircraft e pela GE Aviation, anunciou durante a Ebace que o HA-420 HondaJet deve receber a certificação da FAA no final deste ano, apesar do atraso de um ano no projeto. "Nós podemos começar os testes de voo para certificação da FAA, conforme previsto em nosso programa", disse Michimasa Fujino, presidente e CEO da Honda Aircraft. A aeronave pode atingir a velocidade de 778 km/h e conta com dois motores a jato HF120, que ficam sobre as asas principais. O cockpit do avião é equipado com painel Garmin G3000.

AW169

A AgustaWestland acredita que seu helicóptero biturbina leve AW169 pode obter uma fatia considerável do mercado de transporte VIP e corporativo, enquanto a aeronave segue rumo à sua certificação em 2014. Quatro protótipos estão voando e o fabricante afirmou na EBACE que a aeronave equipada com os motores Pratt & Whitney Canada PW210 já conta com 40 encomendas, várias delas de clientes VIP, principalmente da América Latina.

Durante o evento em Genebra, a AgustaWestland mostrou um mockup do AW169, com o interior projetado pela Mecaer Aviation Group. A AgustaWestland afirma que a semelhança do AW169 com o AW139, que é maior, é outra vantagem para os operadores, reduzindo o treinamento de transição dos pilotos em 40%. Além disso, a comunalidade de 30% entre os dois helicópteros, diminuirá os custos de manutenção.

Enquanto isso, o AW189 continua avançando rumo à certificação, a qual deverá ser obtida no terceiro trimestre de 2013. O primeiro exemplar de pré-série saiu recentemente da linha de produção, e o segundo, logo começará o desenvolvimento dos sistemas de missão. Embora a Agusta Westland planeje introduzir no longo prazo uma variante VIP da aeronave, atualmente concentra seus esforços nos mercados offshore e de busca e salvamento, com suas primeiras entregas.

EC175

Já o também europeu consórcio Eurocopter, apresentou durante a EBACE as variantes VIP e executiva de nova geração do seu helicóptero biturbina de médio porte EC175, projetadas em colaboração com a empresa britânica de projetos de jatos executivos Pegasus Design. A variante VIP tem capacidade para seis a oito passageiros e tem três opções de interior. Já a versão executiva maior do EC175 terá capacidade para até 12 passageiros e foi representada por um mockup durante a EBACE. A próxima convenção m Genebra será realizada nos dias 20, 21 e 22 de maio de 2014.


Reportagens EBACE 2013 Pilatus PC-24 Williams FJ44-4A Challenger 350 Gulfstream G650 G280 Beechcraft Boeing BBJ 737 MAX HondaJet EC175

Artigo publicado nesta revista


Airbus, Nova Rival da Embraer

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Airbus, Nova Rival da Embraer

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas