Crescem as vendas de aviões de negócios, destinados aos voos charter. Os grandes (long range) dominam a perspectiva de comercialização para os mercados da América do Norte, China, Índia, Cingapura, Malásia e Golfo Pérsico, assim como a União Europeia.

Só o mercado chinês prevê a venda de 2.400 novos aviões negócios nos próximos 20 anos. As melhorias nas condições de financiamento, aliado à liquidez disponível em diferentes setores, apresenta o cenário perfeito para incentivar os processos de aquisição. 

O setor charter, longe de ser um grande luxo, representa um setor necessário para os executivos de alto escalão, tanto pela privacidade, mantendo reuniões a bordo, disponibilidade total no que se refere a horários, e à correta adaptação às necessidades cambiantes tanto em horários como em destino.

Na Europa, com uma média de 650.000 movimentos anuais, só em novembro último foram realizados mais de 54.000 voos, 8% a mais que no ano anterior. 

A maneira de crescimento mais representativa é a corporativa, na qual uma grande operadora vende partes de um avião, oferecendo uma quantidade de horas a um preço muito competitivo a cada proprietário. O êxito desse tipo de produto se mantêm graças à operação de uma grande frota (por volta de 250 aviões). 

América do Norte representa 55% do movimento mundial da aviação de negócios, seus modelos em produção estão no topo das vendas ano após ano, devido à sua grande competitividade e à qualidade operacional dos seus projetos.

Por tipos, continua a crescente demanda por aviões de longo alcance (10 a 12 horas de voo). Com preços superiores aos US$ 60 milhões, representam 57% das vendas. Cerca de 8.600 aviões de negócios serão vendidos os próximos 20 anos, com uma perspectiva de financiamento de US$ 255 bilhões para a demanda mundial. 

Em uma faixa inferior de negócio, mas muito maior no número de aviões, encontramos os aviões de médio alcance, para voos de 2 a 5 horas, os mais usados pela sua melhor relação, qualidade/preço. Os preços desses modelos oscilam entre US$ 15 milhões e US$ 30 milhões, e o seu aluguel entre os US$ 3.500 e US$ 4.000/hora, satisfaz as necessidades da maior parte do tráfego aéreo interior, e pela sua versatilidade, operam constantemente em todo tipo de serviço.

Contudo, no mercado charter, surpreende a grande quantidade de movimentos de curto alcance, com voos de entre 1 hora e 2h30 como algo excepcional, sendo sua média de 1h30. Nesse este tipo de voo é usado todo tipo de avião, mas, obviamente, os mais competitivos por preço são os jatos pequenos, do tipo Citation ou similar. De operação simples e muito versáteis para operar inclusive em pistas relativamente curtas (1.000 metros), esta é a faixa mais econômica e a melhor aproveitado por clientes VIP, que sem fazer grande ostentação, exigem a mesma privacidade e discrição.

Espera-se que para 2020, o crescimento global da aviação de negócios, alcance os US$ 33,8 bilhões.

De acordo com a Corporate Jet Investors, a quantidade de aviões de negócios em 2024 será:

América do Norte                              4.620 aeronaves (US$ 120 bilhões)

América Latina                                     850 aeronaves (US$ 16 bilhões)

Ásia-Pacífico                                        570 aeronaves (US$ 19 bilhões)

China                                                    835 aeronaves (US$ 33 bilhões)

Europa, Oriente Médio e África          2.360 aeronaves (US$ 77 bilhões)

Total Global                                        9.250 aeronaves (US$ 265 bilhões)

Em porcentagem a América do Norte terá 50% da aviação de negócios mundial, Europa 26%, América Latina 9%, Ásia-Pacífico 6% e China 9%. Trata-se, sem dúvida, de um setor em constante desenvolvimento e que prevê uma projeção emocionante.

Tudo isso sugere, tanto pela especialidade como pela qualidade profissional desse mercado, um bom momento profissional para o mercado de pilotos, embora o excessivo crescimento das companhias aéreas de tráfego regular esteja captando profissionais de todos os setores, gerando um déficit de pilotos de alto nível.


Notícias Corporate Jet Investors

NBAA 2016

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano



Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas

Mais lidas

1 King Air C90GTx começa a chegar ao Brasil Notícias
2 Airlink, da África do Sul, torna-se a primeira cliente do país a adquirir aviões E-Jet da Embraer Notícias
3 Caem as entregas, mas há otimismo na Robinson Notícias
4 Jatos de negócios congestionam aeroportos na região de Davos Notícias
5 Janela-bolha para o helicóptero Airbus H125 Esquilo Notícias
6 100 aeronaves que marcaram a virada do século 20 para o 21 Notícias
7 Monomotor ou bimotor? Reportagens
8 O jato particular de Trump é melhor do que o Air Force One? Notícias
9 Polônia poderá comprar 100 aviões de combate Notícias
10 O novo Beluga XL da Airbus toma forma Notícias