Fazendo levantamento

Escândalo envolvendo certificações de qualidade falsas de metais pode afetar a Boeing

Siderúrgica japonesa Kobe Steel admitiu a fraude e leva fabricante norte-americano a iniciar verificação de seus aviões

Por Ernesto Klotzel em 16 de Outubro de 2017 às 08:46

Um escândalo envolvendo a Kobe Steel, terceira maior siderúrgica do Japão, coloca a Boeing em estado de alerta. Na semana passada, a empresa japonesa admitiu ter falsicado certificados de qualidade dos metais que fornece, levando uma série de companhias a iniciar verificações sobre a segurança de seus produtos. 

A revelação da fraude pode acarretar custos de reparação para a siderúrgica japonsea, já que a Boeing tem utilizado produtos da Kobe Steel, incluindo aqueles que foram falsamente certificados, segundo se divulgou na imprensa internaciaonal. 

De acordo com o escritório de Tóquio da agência de notícias Reuters, a Boeing ainda não considera o problema uma questão de segurança, mas a revelação pode envolver custos de reparação para a companhia japonesa. As certificações falsas seriam relativas à resistência e à durabilidade de componentes em aço fornecidos a centenas de companhias.    

O fabricante norte-americano está realizando um levantamento das aeronaves para identificar a abrangência e o tipo dos components da Kobe Steel presentes em seus produtos e vai compartilhar os resultados com seus clientes.

Qualquer programa de âmbito maior para a eventual remoção de algum componente, mesmo durante manutenção periódica, poderia tornar-se oneroso para a Kobe Steel se esta tiver de arcar com a conta. O CEO da Kobe Steel, Hiroya Kawasaki, afirmou que a credibilidade da empresa estava “em zero” após a identificação da fraude. Segundo ele, a companhia está examinando uma possível falsificação de dados que remonta a 10 anos, porém não espera – ao menos, por enquanto – o recall de carros ou aviões.

A Boeing não compra produtos como compostos de alumínio utilizados em aviões diretamente da Kobe Steel, ao contrário de seus fornecedores-chave, como a Mitsubishi Heavy Industries, Kawasaki Heavy Industries e Subaru Corp. Estas empresas são peças vitais da cadeia global de suprimentos da Boeing, construindo cerca de um quinto do 777 e 35% do 787 Dreamliner em material composto.

O trabalho para o fabricante norte-americano emprega cerca de 22.000 engenheiros japoneses, ou 40% da força de trabalho empregado na industria aeroespacial do país. 


Notícias Boeing 777 787


Airbus, Nova Rival da Embraer

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Airbus, Nova Rival da Embraer

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas