Contrato assinado

Brasil e Suécia oficializam a compra dos 36 caças Saab Gripen NG para a FAB com previsão de transferência de tecnologia para a indústria nacional durante o desenvolvimento do program

Por Edmundo Ubiratan em 7 de Novembro de 2014 às 00:00

Um dia após a reeleição da presidente Dilma Rousseff, o governo brasileiro e a Saab assinaram o contrato de desenvolvimento e produção de 36 aviões Gripen NG no valor total de US$ 5,4 bilhões, US$ 1 bilhão a mais do que o previsto inicialmente. Além de treinamento de pilotos e mecânicos brasileiros na Suécia e apoio logístico, o contrato ainda prevê cooperação industrial e transferência de tecnologia substancial da Saab para a indústria brasileira, sobretudo a Embraer. “Vamos transferir tecnologia e capacidade de projetar e construir caças”, afirmou Håkan Buskhe, presidente e CEO da Saab, durante a cerimônia. 

O programa é composto por 28 caças monoposto e oito caças biposto do programa Gripen NG, inconcluso. De acordo com o contrato, o Brasil participará ativamente do desenvolvimento do Gripen NG e será o sócio responsável pelo desenvolvimento da versão F (biposto), que poderá ser empregada para treinamento de pilotos e missões especiais, como guerra eletrônica. Segundo cláusulas contratuais, a transferência de tecnologia para a indústria brasileira será feita gradualmente ao longo de aproximadamente 10 anos, tempo médio do desenvolvimento completo do programa F-X2. O contrato de cooperação industrial entrará em vigor mediante o cumprimento de condições pré-estabelecidas, como as autorizações necessárias de controle de exportação, já durante o primeiro semestre de 2015. As entregas do Gripen NG para a FAB estão previstas para acontecer entre 2019 e 2024. 

De acordo com o brigadeiro José Augusto Crepaldi Affonso, presidente da COPAC (Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate), a assinatura ocorreu após dez meses de intensas negociações contratuais. “Atualizamos a proposta. Trouxemos os requisitos para um cenário mais moderno”, explica o militar. Pelos cálculos do governo, o desenvolvimento e produção do Gripen NG possibilitará a geração de milhares de empregos diretos e indiretos no país.

Caça sueco
Caças suecos podem substituir todos os F-5M e A-1M da FAB


FAB estuda alugar lote de modelos Gripen C/D usados

O Gripen NG representa um salto tecnológico e operacional à FAB, incorporando tecnologias inéditas no país, como o radar Raven ES-05, capaz de identificar alvos aéreos ou de superfície a um ângulo de 100° da sua antena. Outro destaque é o sensor de busca infravermelho e datalink, que possibilita a troca de informações entre os aviões de forma segura e criptografada. Quando entrar em serviço, o Gripen NG também será o único caça do Hemisfério Sul com capacidade “supercruise”, ou seja, poderá voar supersônico por longas distâncias sem o uso continuo do pós-combustor. “Esperamos há mais de 18 anos por esse momento. Esse contrato inaugura uma nova era operacional para a aviação de caça no Brasil”, comemora o brigadeiro Alvani Adão da Silva, diretor do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial).

A Embraer terá um papel de liderança como o parceiro estratégico no programa F-X2 e deverá conduzir grande parte do projeto, incluindo a montagem final do Gripen NG. Mas a indústria brasileira em geral também terá um papel importante no desenvolvimento dos novos caças, o que vale para empresas de alta tecnologia como AEL, Akaer, Atech e SBTA. 

Gripen C/D

O Ministério da Defesa confirma que prosseguem as negociações entre a FAB e a Força Aérea da Suécia para o aluguel temporário de um lote de Gripen C/D. As aeronaves, usadas, seriam empregadas no restabelecimento da plena capacidade de defesa aérea brasileira e permitiriam aos militares se familiarizarem com a filosofia de emprego do novo avião. O plano original é utilizar os Gripen C/D até o recebimento das aeronaves novas. Porém, fontes na FAB confirmam que existe o interesse de posterior compra desses aviões para serem destinados a outras unidades aéreas, substituindo, assim, os veteranos F-5EM com custo menor e dentro da filosofia de emprego de uma plataforma unificada.

O governo brasileiro avalia, ainda, a ampliação do contrato do Gripen NG, que, numa segunda fase, poderá contemplar a compra de até 120 caças, substituindo todos os F-5EM e A-1M no médio prazo. A compra de um lote superior aos 100 aviões é visto como estratégico para a indústria de defesa brasileira e para a soberania nacional. Porém, o assunto não será discutido antes do início das entregas do Gripen NG.


Aviação Militar Brasil Suécia contrato Saab Gripen NG FAB

Artigo publicado nesta revista

AERO Magazine 246 · Novembro/2014 · TBM 900

Voamos a nova versão deste veloz turbo-hélice da Daher-Socata

Guia de Compra 2017

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 202,80R$ 405,60R$ 202,80R$ 202,80
Assine Agora porR$ 162,24R$ 283,92R$ 119,96R$ 119,96
Desconto
EconomizaR$ 40,56R$ 121,68R$ 82,84R$ 82,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 54,08 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também 2 Posters 2 Posters + relógio de mesa personalizado
Guia de Compra 2017

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas