Aviação Regular

Giuliano Agmont E Santiago Oliver em 13 de Dezembro de 2012 às 13:06

Assembléia geral alta

A Associação Latino-americana e do Caribe do Transporte Aéreo (ALTA), concluiu seu 9o fórum de líderes de companhias aéreas e 32a Assembléia Geral Anual (AGM) na cidade de Panamá, fazendo um chamado para continuar os esforços de melhorar a segurança operacional na aviação regional. Roberto Kriete, presidente da ALTA, reiterou que, apesar de a associação ter feito progressos consideráveis na melhoria da segurança em toda a América Latina e Caribe, a ênfase vai mudar os seus esforços para pressionar as autoridades a estabelecer o credenciamento de IOSA (Auditoria segurança IATA) como requisito para a certificação das companhias aéreas.

O número de passageiros transportados desde setembro de 2012 até setembro de 2012 aumentou 7% em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 111,1 milhões de passageiros. Durante o referido período, o tráfego (RPK) aumentou 8,1%, a capacidade (ASK) aumentou 6,5% e a taxa de ocupação atingiu 76,5%, 1,1 ponto percentual acima do período acima.

As toneladas-quilômetro transportadas diminuíram 5,2% em setembro de 2011, mas subiram 6,0% até agora em 2012. O CEO da Star Alliance, Mark Schwab (foto), disse que o grupo deve se preparar para reconstruir sua presença no mercado brasileiro diante da saída da TAM e o risco de perder uma posição no maior mercado da América Latina.

Enquanto ele se recusa a ser específico sobre potenciais candidatos, a Avianca Brasil é vista como um líder contendor. TAM deve deixar a Star Alliance devido à sua fusão com a LAN, membro da Oneworld, e que exige não estar na mesma aliança com AviancaTaca.

"Ainda não há data para isso, mas quando esse dia chegar, a Star perderá uma transportadora forte na América Latina, e precisamos voltar e reconstruir nossa proposição dentro do Brasil", disse Schwab. Ele acrescentou que o Brasil representa 40% da aviação da América Latina. "Precisamos encontrar uma solução para Star Alliance no país".

Os dois candidatos que parecem estar na mira da Star Alliance são Avianca Brasil e Gol. Como esta última mantém estreitos laços com Delta SkyTeam Air Lines, o parceiro mais provável novo seria Avianca Brasil. Esta transportadora doméstica brasileira é uma subsidiária do Grupo Synergy - pai do membro da Star AviancaTaca.

A350 XWB deixa o hangar

A Airbus finalizou a montagem estrutural do primeiro protótipo do A350 XWB, o MSN-001, que deve voar em meados de 2013. Rebocada para fora do hangar de montagem principal, em Toulouse, na França, a aeronave inicia agora os testes de solo, que incluem verificações elétricas e hidráulicas. Depois, fará testes de certificação, receberá pintura e ganhará motores antes de seguir para as equipes de voo.


Gol extingue Webjet

A Gol Linhas Aéreas anunciou o fim das atividades da Webjet e a extinção de sua marca. O primeiro passo desse processo foi o encerramento das operações dos últimos seis aviões Boeing 737-300 da Webjet que ainda estavam voando. Outros 14 jatos da empresa de baixo custo, comprada pela Gol em 2011, já estavam no solo e em processo de devolução. Segundo o presidente da Gol, Paulo Sérgio Kakinoff, as aeronaves, com idade média elevada, alto consumo de combustível e defasagem tecnológica, deixaram de ser competitivas frente aos novos patamares de custos do setor no Brasil. "O combustível chegou a representar 46% de nossos custos diretos. As despesas com manutenção também cresceram muito", diz Kakinoff. Com o fim da Webjet, a Gol demitiu 850 colaboradores, sendo quase 450 tripulantes. Todos os passageiros da Webjet serão absorvidos pela Gol, que passa a contar com a estrutura de solo de sua controlada, além da própria malha. A Gol espera com a decisão aumentar sua participação de mercado, diminuindo de 5 a 8% a oferta de assentos e aumentando tanto sua taxa de ocupação (que hoje gira em torno de 60 a 65%) com o tempo médio de voo diário de suas aeronaves (que está em 12,3 horas). A frota da Gol passa a ser de 130 aeronaves, com chegadas de aeronaves novas e saídas de modelos velhos a cada 45 dias, em média, e um corpo de colaboradores de 17.000 pessoas.

Azul e Trip integradas

A Azul Linhas Aéreas e a Trip Linhas Aéreas completam integração de seus sistemas de reserva e canais de atendimento. Agora, os clientes de ambas as empresas já podem comprar passagens, consultar voos, realizar alterações e remarcações, entre outros, por meio dos canais da Azul. Os call centers da Azul e da Trip, que estão localizados em São Paulo e Belo Horizonte, respectivamente, serão mantidos, mas com os números de atendimento da Azul. "Com um único canal de vendas, check-in e despacho de bagagens, obtivemos um atendimento mais ágil", afirma David Neeleman, fundador e presidente da Azul Linhas Aéreas. As formas de pagamento, taxas de remarcação, cancelamento, no-show e reembolso também foram unificadas. Já as unidades de transporte de carga (Azul Cargo e Trip Cargo) se mantêm por enquanto, mas também serão padronizadas gradualmente. O primeiro avião com nova identidade visual da companhia, um ATR 72-600, já está operando. O tom diferente do U é uma alusão à marca Trip.


Notícias

Artigo publicado nesta revista


Airbus, Nova Rival da Embraer

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 172,80R$ 302,40R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 43,20R$ 129,60R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 57,60 6x R$ 50,40
Assinando agora você GANHA também CHAVEIRO PORTA COPOS
Airbus, Nova Rival da Embraer

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim AERO Magazine

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas